A poesia está em tudo

Quarta-feira, 02 de Março de 2011

Na minha mesa posta

um bule com o choro de ontem

servido amargo

 

Entre os jornais do dia

o roteiro em detalhes

do que podia ter sido

 

Em vez da geleia de morango

o suor das tarefas

num pote de cerâmica

 

A faca corta o pão

como se amputasse

a língua do ódio

 

No balcão da copa

o relógio do micro-ondas

cobra meu tempo

 

Todo dia às 7

desjejuo em silêncio

e a família ignora

a fome de dentro

 

             Sérgio Bernardo

publicado por Sérgio Bernardo às 13:40

mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


Últ. comentários
Este poema merece um prêmio Nobel!!! PERFEITO!Ange...
Olá, Sérgio. Gostei muito do seu poema "A pressa d...
Olá! Gostei bastante do que você escreve. Deu vont...
Estamos a customizar uma natureza, e adjetivar com...
um blog bem transado! antonio cabral filhohttp://...
Mas nada o impedirá de existir.
Curti muito esse seu poema premiado em São João De...
Sempre mais fácil quando isso é perceptível. Valen...
Enquanto dia não tem uma escolha, nós temos.
Sucesso ao Blog, Sérgio. O seu texto sempre invejo...
arquivos
links

blogs SAPO


Universidade de Aveiro